Mina de Aljustrel retomou a actividade comercial

minadealjustrel.jpgApós 15 anos desde que a empresa Pirites Alentejanas interrompeu à extracção mineira, arrancou ontem a actividade comercial da mina de Aljustrel.  

     
A exploração foi reactivada pelo grupo sueco/canadiano Lundin Mining, através da empresa concessionária do complexo, a Pirites Alentejanas.               

O grupo Lundin Mining investiu 130 milhões de euros em Aljustrel, num processo que envolveu a modernização da unidade industrial de processamento de minerais e a criação de infra-estruturas de apoio às operações mineiras.              

Prevendo a criação de 220 postos de trabalho, a Pirites Alentejanas assegura uma capacidade instalada para tratamento de 160 mil toneladas anuais de zinco e de 36 mil toneladas de chumbo, e ainda 1.250 milhões e onças de prata.             

O primeiro-ministro José Sócrates, que se deslocou a Aljustrel, disse compreender a importância deste investimento para Aljustrel e para o Alentejo.

Publicidade