Baixo Alentejo tem escassez de mão-de-obra na agricultura e no turismo

alentejo.jpgBaixo Alentejo vai necessitar, nos próximos 5 anos, de imigrantes para resolver o problema da falta de trabalhadores para a agricultura e para os novos empreendimentos turísticos.

Em declarações ao Radio Clube, o Governador Civil de Beja, Manuel Monge, afirmou  que, “nos próximos cinco anos a necessidade de mão-de-obra na agricultura cresça em flecha, pelo que só a chegada de imigrantes poderá ajudar a resolver a situação”.

A maioria dos imigrantes no Baixo Alentejo são brasileiros, seguindo-se ucranianos, moldavos e romenos.

 

 

Publicidade