«Tolerância zero» a cães considerados perigosos em Beja

rottweiler.jpgAs autoridades autárquicas e de segurança do concelho de Beja anunciaram “tolerância zero” aos donos de cães perigosos, ou potencialmente perigosos, que não cumpram a legislação em vigor.

Esta foi a conclusão de um encontro ocorrido nos Paços do Concelho, entre a Câmara de Beja, Associação de Freguesias da Cidade, PSP e GNR, e surge após a denúncia de alguns casos de agressões na via pública. Neste sentido, as autoridades decidiram intensificar as acções de fiscalização junto de donos de cães considerados perigosos, após dois casos recentes ataques a pessoas.

São considerados potencialmente perigosos os cães das raças Cão de Fila Brasileiro, Dogue Argentino, Pitt Bull Terrier, Rottweiler, Staffordshire Bull Terrier, Staffordshire Terrier Americano e o Tosa Inu.

A lei em vigor obriga os proprietários de cães considerados potencialmente perigosos a ter seguro de responsabilidade civil, licença emitida pela junta de freguesia e a instalar uma placa de aviso da presença e do perigo do animal junto ao seu alojamento.

Na via pública, o cão tem que ter um açaime funcional e estar devidamente seguro por uma trela curta.